sexta-feira, abril 28, 2006

ÉTICA E DIGNIDADE

Numa semana marcada por pormenores de pouca dignidade ou mesmo de nehuma, como foram os casos Sá Pinto, Scolari e Ricardo, o desporto precisa agora de actos mais dignos e de maior profissionalismo.

Se no caso Sá Pinto, tudo não passa de uma manobra idêntica à que no passado recente deu um título nacional ao Benfica. Já a entrevista de quinta-feira dada por o guarda-redes Ricardo, tem contornos de uma certa malvadez e de um mau perder absoluto.

Ricardo Sá Pinto merecia um final de carreira mais digno. Foi um jogador, e ainda o é, temperamental, mas com uma mentalidade de grande profissionalismo, que por vezes lhe causou alguns dissabores. A maior nódoa da carreira de Sá Pinto foi sem dúvida a agressão irreflectida ao então seleccionador Artur Jorge, vá-se lá saber as razões para tamanho disparate, até hoje ainda não se conhecem as verdadeiras motivações do jogador. Eu pergunto o que aconteceria se isso se verifica-se hoje ou melhor com este seleccionador?

Sim com este senhor Scolari que Ricardo defende - por motivos mais que óbvios - com unhas e dentes, eu direi mesmo que Ricardo defende melhor o seleccionador do que as balizas que defende. O seleccionador de parte do país - meu não o é enquanto ele não se fôr embora - está a um pequeno passo de dar um grande salto, para terras de sua majestade. Mas Ricardo diz também que este Sporting no campeonato inglês seria capaz de ir bem mais longe. Foi infeliz Ricardo no que disse e no timming escolhido. Logo no dia em que os ingleses com a ética que dizem ter, fazem uma proposta absurda mas tentadora pelo seleccionador de alguns de nós

Scolari, de uma forma absolutamente indigna, vem justificar a mais que provável saída depois do mundial, com o facto de ainda não ter sido abordado a renovar com a selecção de Portugal. Com um presidente que eu cá sei, provavelmente o senhor Scolari já não orientava esta super selecção no mundial. Afinal até pelo telemóvel ao mesmo através de uma outra tecnologia mais sofisticada, esta selecção poderia ser orientada desde qualquer praia de Copacabana e arriscaria seriamente ser campeã do mundo.
Ricardo, no entanto diz que Scolari é o melhor treinador que lhe apareceu. Tem lógica! Afinal sem este seleccionador provavelmente neste momento nem seria titular do seu clube.
Esta selecção está feita de lobbies, mas não são políticos nem empresariais, são sim lobbies do interior federativo e do seu seleccionador, aquele que agora está a dar com os pés - felizmente e finalmente - à entidade patronal.
Não me convenço que nomes como Baía, João Pinto e Sérgio Conceição, desde que temos este “lobbie” na federação não tenham tido nenhuma oportunidade de mostrar o que valem e que se convoquem jogadores como Bruno Vale, Paulo Santos, Figo, Rui Costa, Luís Loureiro, etc. e mais recentemente ainda vem o senhor Scolari dizer que conta com Costinha para o mundial. Isto é brincar ao futebol. O seleccionador não é o único culpado, até ponho dúvidas se terá alguma culpa nas não chamadas. Para mim cheira-me a uma imposição que será conhecida em breve, é já a seguir!

Segue-se já neste fim-de-semana, o resto da Liga Portuguesa. É aqui que se pede mais dignidade do que aquela que foi perdida nesta semana que chega hoje ao fim.
Com a luta pelo título terminada, temos agora outras lutas, mais concretamente pelo campeão dos últimos que dará lugar a uma entrada directa na liga do milhões, pela última posição da europa, o quinto lugar, e ainda pela fuga à queda.
O Sporting merece, e com certeza conseguirá chegar ao fim como vencedor do seu campeonato. Já o último lugar europeu será renhido e disputado até ao último segundo da derradeira jornada, Boavista e Nacional são os rivais desta disputa. No que diz respeito à queda as coisas estão mais complicadas pois o contingente é maior, tem mais candidatos.
Se na primeira luta o FC Porto não tem nada haver, já nas duas últimas terá uma papel mais importante, de dignidade, digo eu. O FC Porto tudo fará por dar a este final de campeonato a dignidade que ele precisa, por muito que custe a nós portistas. E digo isto porque a meu ver o FC Porto poderia e deveria a partir de agora gerir o plantel, fazendo rodar os menos utilizados. E não o fará - tenho a certeza - pela verdade do futebol. Mas isto tem custos, o FC Porto ainda tem a final da taça de Portugal e um enorme contingente de seleccionáveis que bem precisam do merecido descanso, antes do começo do mundial. Por esta razão, não acredito na europa do Boavista, nem na manutenção do Vitória de Guimarães. Em ambos os casos infelizmente, digo eu!!!

domingo, abril 23, 2006

ALAMEDA E BAIXA PINTADAS DE AZUL E BRANCO




Conforme o previsto o Porto está nas ruas.
Mais uma grande noite pintada de AZUL PORTO.
Obrigado Campeões 2005-2006

sábado, abril 22, 2006

FC PORTO Campeão 2005/2006


O Porto é campeão!

Ao bater o Penafiel no final desta tarde, o FC Porto acaba de sagrar CAMPEÃO NACIONAL 2005-2006.

Sim é verdade, acordeeeemmm carago. Acabou o sonho da revalidação.
O clube da província parou o glorioso.
Que chatice! Já não bastava a subida do petróleo, a consequente súbida dos combustíveis e do custo de vida, a inflação, agora o país vai ficar ainda mais triste. Lá vem a conversa de sempre, enfim, estamos habituados a isto.
Mas o que é certo é que o FCP foi mais forte que o SCP, e na recta final mostrou que a regularidade é a maior prova que os campeões têm para dar numa guerra com trinta e tal batalhas.
É justo, dizem os sérios em unanimidade. Ainda assim, há alguns que dizem que os árbitros ganham jogos e entregam campeonatos.
Pura especulação, mau perder, dizer por dizer, mas... não interessa, o que realmente interessa é que o FCP é campeão, com mérito, sem ajudas, pelo contrário, numa análise isenta facilmente se chega à conclusão que o FCP e o SCP foram os mais prejudicados num campeonato que teve arbitragens infelizes, como é costume.

O FCP tem o melhor plantel, sem dúvida. Construído desde o ano transacto - época de transição - este plantel é o melhor e o mais promissor, tem uma média de idades muito baixa, e com talentos no onze tipo, no banco e até na equipa B. O futuro poderá bem dar razão a isto.

Com um slogan interessante - ninguém pára o ... - começou esta época. E os benfiquistas poderão ficar descansados que por muitas conquistas que passem ao vosso lado, o slogan mantém-se, pelo menos enquanto existir uma imprensa desportiva como a actual. Afinal de contas ainda existe o processo apito dourado para encher o ego a seis milhões de torcedores.
Mas vou falar deste campeonato. O FCP até que nem começou mal, pelo contrário, com o futebol mais espectacular que me lembro - e já lá vão 30 anos a visitar estádios - no início de época, os dragões foram travados pelo azar no mês Outubro. Nessa altura Co Adriaanse deu o primeiro sinal da sua teimosia, e ainda bem que o fez, não fugindo do seu 343, e ainda o justificou dizendo “este é o meu sistema de jogo, poderia jogar em 433 ou 442 e até sei que ganhava os jogos mas quero ganhar e dar espectáculo”, e tinha razão o holandês. Agora é chegada a hora daqueles que nele acreditaram, agradecer. Os outros que se curvem, e alguns que tenham humildade de pedir desculpa, pelos ”incómodos” que lhe causaram.
O campeonato tem 34 jornadas e o FCP chegou em primeiro ao seu final. Por certo que as bancadas do Dragão irão mudar, e num futuro próximo não vou precisar de explicar à minha filha o porquê de certos cartazes estarem com as letras ao contrário. E dos famosos lenços terem sido extintos, porque o SENHOR ADRIAANSE lá arranjou o antídoto necessário para acalmar os mais sensíveis à gripe que para aí se apregoa.
Para nós e para o Setúbal, ainda falta a Taça. Para os outros, para o ano há mais!

sexta-feira, abril 21, 2006

Quaresma no Real Madrid


Não quero acreditar que o Barcelona, aquando da transferência de Quaresma para o FCP, não tenha exercido uma cláusula de opção em caso venda para o mercado Espanhol. Cheira-me que o nome que o Real quer nas suas fileiras é Laurent Robert. Baseio a minha ideia no seguinte: o Real como primeira opção deseja Cristiano Ronaldo, ora para esse lugar - extremo direito - só estou a ver uma opção em Portugal: Laurent Robert. Afinal seria uma boa resolução, para um enorme problema que o SLB tem entre paredes. A não ser que o Real opte por Simão e o Benfica chegue a acordo com o Francês para este passar a auferir o ordenado de Simão. O que não acredito que aceite, afinal trata-se de uma redução na ordem dos 50%! Haver vamos como as coisas se desenrolam.

quinta-feira, abril 20, 2006

24 Anos


Quando em 1982, Pinto da Costa tomou conta do FCP, eu tinha apenas 14 anos. Lembro-me como fosse hoje, de acompanhar o meu pai a votar no já desaparecido pavilhão Afonso Pinto Magalhães. Sentei-me no banco que ficava encostado ao pavilhão, por detrás de uma das balizas do também extinto campo de treinos, e ali esperei que o meu pai cumprisse o seu dever cívico, VOTAR. Votou, tal como muitos, na mudança. Uma mudança que passado todos estes anos ainda dá frutos.

Passados estes vinte e quatro anos, e já com algumas brancas, vi o meu FCP crescer. Assisti a uma revolução que começou no primeiro momento da nova liderança.
Na altura era Hermann Stessl o treinador do FCP, um simpático Austriaco, e que até era um bom treinador, mas o FCP queria mais, muito mais. O regresso do mestre era inevitável. José Maria Pedroto, foi o grande timoneiro, a quem Pinto da Costa entregou a equipa de futebol. Formou-se então uma equipa extremente sólida. Liderado por Pinto da Costa, treinado por José Maria Pedroto, e com oa chefia do futebol entregue a Teles Roxo, o FCP não seria mais o mesmo.
No entanto, existe outro nome que acompanha o grande Presidente desde o início desta longa caminhada vitoriosa, trata-se de Sardoeira Pinto, o nosso presidente da assemleia, portistas de todos os costados.
Na altura da eleição, não se fez o folclore que hoje é feito, nem a comunicação social da altura, mediatizou estas eleições, provavelmente hoje faria-o, tentando entregar o nosso clube a outro dono.

Pinto da Costa travou duras lutas, lembro-me bem da “maldade” que fez ao Sporting de João Rocha. Corria o ano de 83, o Sporting contratou Jaime Pacheco e Sousa ao FCP, Pinto da Costa num “gesto de solidariedade” foi buscar o Futre. Passados 3 anos o FCP voltou a ter nos seus quadros os dois centro campistas - que muito ajudaram na caminhada gloriosa de 87 - , quanto ao Sporting, não mais voltou a ser campeão no século passado.
Mais tarde foi a vez do Benfica de João Santos ser o alvo de Pinto da Costa. O célebre caso Ademir. O FCP estava a ultimar a contratação do médio do Vitória de Guimarães, nessa altura o Benfica intrometeu-se e desviou-o para a Luz. Pinto da Costa “cobrou” trazendo Dito e Rui Águas para as Antas. Passados 3 anos o avançado voltou à Luz para terminar a carreira, corria o ano de 93, o Benfica iniciava o jejum de 11 anos. Ironias dos destinos, uns voltam para ser campeões europeus e mundiais, outros para não mais vencer.
Mais recentemente, e já depois de lhe terem feito o “funeral”, só porque não ganhou o campeonato durante três anos. Período esse em que venceu duas taças de Portugal, por isso só nada ganhou num ano, Pinto da Costa foi de novo o timoneiro das conquistas europeias - UEFA, CL, TI.
Sem esquecer que o FCP, não é só futebol. Em todas as modalidades o clube cersceu. Ganhando títulos europeus também no Hóquei, Atletismo, Desporto Adaptado e nacionais em tudo o que é modalidade. Chegou mesmo a fazer o pleno num só ano: Basquetebol, Andebol, Hóquei, e Futebol todos os escalões, quantos meses de emissão televisiva daria tal feito, se fosse de outra cor que não o AZUL PORTO.

Pelo FCP passaram neste 24 anos grandes figuras do desporto nacional e mundial: Madger, Futre, Gomes, Oliveira, Rui Barros, Branco, Deco, Pedroto, Artur Jorge, Ivic, Carlos Alberto Silva, Robson, Mourinho, Aurora Cunha, Fernanda Ribeiro, Cristiano Pereira... e muitos outros.
Viveu-se também momentos de profunda tristeza com o desaparecimento de outras grandes figuras do nosso grandioso clube, como foram os casos de José Maria Pedroto, Teles Roxo, Zé Beto e Rui Filipe.

De novo se falou na época transacta, que Pinto da Costa estaria a ficar velho, ultrapassado, senil... Este ano o FCP respondeu da melhor forma.

Pelo meio, ficaram ainda muitas outras batalhas, quase sempre ganhas, e ainda bem que assim foi, é e será!

Para Jorge Nuno Pinto da Costa, o meu agradecimento por todas estas alegrias, que muito ajudaram a elevar o meu ego, e o de muitos milhares por este mundo fora.

OBRIGADO PRESIDENTE!!!

quarta-feira, abril 19, 2006

B de Baía


Cada vez tenho mais orgulho de pertencer a esta família Portista.
Como não chega ter um País que nos odeia, um seleccionador que nos ignora, e uma imprensa que foge à verdade sempre em prejuízo do mesmo, agora é a vez do mais alto representante do futebol mundial, vir falar em corrupção de uma forma completamente gratuita.
O senhor José, vem num jornal croata dizer que em Portugal existem políticos e empresários a tentar impôr ao seleccionador a chamada de Baía para o Mundial.
Em primeiro lugar, não sei se o tal senhor José sabe a forma como os portugueses vivem o futebol.
Em segundo, o tal senhor não deve saber a diferença entre a opinião e a imposição.
Em terceiro e último, penso que o primeiro a sofrer tal imposição, será o treinador do FCP, que também não o tem posto a jogar, e não o seleccionador de Portugal.
Ora, será que o tal senhor José, tem conhecimento que Vitor Baía não tem sido titular do FCP? Será que ele sabe, que no nosso país existe uma imprensa que volta e meia atoarda a torto e a direito? Será que sabe também os portistas são uma força minoritária em número de simpatizantes, e que por isso se torna num alvo fácil de denegrir?
Tenho muitas dúvidas que esse senhor saiba disto e muito mais, já que não sabe como pôr os árbitros da FIFA a fazer o seu trabalho de uma forma perfeita, e que com isso por vezes se levante a suspeita da corrupção.
Acima de tudo, o senhor José devia ter respeito pelo jogador com mais títulos em todo o mundo. Jogador esse que nos últimos três anos ganhou apenas dois campeonatos - vem outro a caminho -, uma taça - vem outra a caminho -, uma taça UEFA, uma LC e uma taça Intercontinental. Se tudo isto não bastar, lembre-se, ou melhor saiba, o senhor José que Vitor Baía tem vários títulos pessoais, entre os quais o melhor guarda-redes da europa no ano 2004.
Fique também o senhor José a saber, que Baía irá continuar a levantar troféus em Portugal e por essa Europa fora, enquanto Vossa Excelência se acomoda no seu lugar.
Nós, portistas, temos o dão da tolerância, por isso senhor José, fique bem, que nós toleramos a sua ignorância.

terça-feira, abril 18, 2006

ESTÁ QUASE...